O que devo levar na mochila

Guia útil

Equipagem imprescindível e opcional para realizar a rota

44
O que devo levar na mochila
@ Pradero

@ Pradero

O primeiro que há que ter em conta na hora de preparar a equipagem para fazer o Caminho de Santiago é a época do ano durante a qual se vai caminhar. Deste modo, a mochila de um peregrino no inverno é muito diferente da de um romeiro de verão.

Os especialistas no Caminho de Santiago dizem que são capazes de adivinhar com alguma precisão desde onde partiu cada romeiro em função da equipagem que leva às costas Assim, os que vão mais carregados costumam partir desde os pontos mais próximos a Santiago e os que arrancam desde os Pirenéus, conscientes de que terão que carregar com o peso durante más de 700 quilómetros, levam apenas o necessário.
Em princípio, esta última corrente, a de levar apenas o necessário, é a ideia que defendem rigorosamente os que amontoam compostelas em casa.

Equipagem

Calçado: É o ponto mais delicado. É imprescindível levar calçado apropriado. Nas lojas de desporto é possível encontrar o de trekking, o mais adequado para as caminhadas. Deve ser usado durante um par de meses antes de iniciar a viagem. Aqueles que estreiem calçado ou que realizem o Caminho com calçado inapropriado podem acabar desistindo por causa do desconforto.

Calças de montanha: É importante que já tenham sido usadas. Práticas e cómodas. Serão usadas todos os dias. Pode ser uma boa ideia levar um impermeável para as calças para o caso de chover.

Calções: No verão podem ser usados para dormir, para caminhar durante nos dias de mais calor e, inclusivamente, para dar um mergulho numa das piscinas ou rios que abundam no Caminho de Santiago.

Camisola ou jersey: Cómoda, que pese pouco. Será útil nos dias mais frios, mas convém não esquecer que há que carregar com ela nos dias de mais calor.

-Duas camisas: A que se leva vestida e outra para mudar.

-Três ou quatro molas para secar a roupa: Podem chegar a ser muito úteis.

-Três pares de meias sem costuras.

-Três jogos de roupa interior.

Chinelos: Imprescindíveis, para usar nos duches dos albergues, bem como para descansar os pés após as longas caminhadas.

Escova e pasta de dentes.

Desodorizante.

Saco de dormir: Se o Caminho for feito no inverno, convém levar um bom saco de dormir especialista em suportar baixas temperaturas. Se o Caminho for feito no verão deverá ser suficiente um saco ligeiro.

-Esteira: Para se alguma vez dormir ao ar livre.

Toalha especial: Mas lojas especializadas em desporto especializadas vendem-se toalhas de secagem rápida. Além de não ser um produto muito caro, estas toalhas pesam muito pouco, sendo assim bem boas para quem caminha.

-Vaselina: Aplicar una pequena quantidade de vaselina nos pés antes de cada jornada ajudará a evitar a aparição das sempre incómodas bolhas.

Detergente para lavar a roupa.

Fronha de almofada: Imprescindível.

Proteção solar: Imprescindível

Documentação: Documento de identificação ou Passaporte, cartão de saúde e bancário. Para os peregrinos estrangeiros, o cartão europeu de seguro de doença. Também é conveniente andar sempre com algum dinheiro.

Oleado: Imprescindível para que não seja surpreendido por um aguaceiro imprevisto.

Telemóvel e carregador: Levar um telemóvel pode ser uma vantagem ou um lastro. Há caminhantes que se dedicam a olhar para o ecrã do seu telemóvel em lugar das paisagens que os rodeiam. No entanto, caminhar com um telemóvel pode ser de grande ajuda em caso de emergência.

Credencial: O documento que acredita a pessoa como peregrina. Imprescindível para dormir na grande maioria dos albergues. Nalguns locais é necessário mostrá-la para poder beneficiar dos descontos para peregrinos.

Navalha.

Mochila: Imprescindível para carregar a equipagem. É muito importante que seja cómoda. Convém pesá-la antes da partida. Não deve superar o 10% do peso do peregrino. Alguns modelos contam com bolsos especiais para distribuir a carga.

Opcional

Bastão, cajado ou bordão: Cada vez são mais os peregrinos que caminham com este tipo de ajuda. Nos últimos anos os bastões especiais para caminhar estão a retirar protagonismo ao tradicional bordão.

Chapéu: Pode ser de uma grande ajuda nos meses de verão.

Tampões para os ouvidos: Nunca se sabe que vizinho lhe pode tocar num albergue. O descanso é muito importante.

Há quem recomende ter á mão um pequeno estojo com pensos, Betadine, gaze, fio, agulha, isqueiro, adesivo e algum anti-inflamatório. No entanto, a recomendação é que se vier a necessitar de algum destes produtos o compre numa das muitas farmácias que encontrará pelo Caminho de Santiago.

Fato de banho: Muito recomendável nos meses de verão.

Pequena lanterna: A mais recomendável é a de estilo mineiro, que ilumina à frente graças a uma fita elástica que se coloca em volta da cabeça. Deste modo, o peregrino poderá dispor das duas mãos enquanto a utiliza. Pode salvar o peregrino de algum apuro. Convém utilizá-la também quando se comece a caminhar a horas muito madrugadoras.

Pulseira refletora: Especialmente indicada para as pessoas que ou por madrugarem ou por caminharem até tarde, tenham o costume de fazê-lo com pouca luz.

Máquina fotográfica: Não são poucos os peregrinos que empreendem a aventura com uma máquina fotográfica para imortalizar a quantidade de momentos mágicos. No entanto, muitos dos telemóveis já vêm com uma câmara fotográfica integrada, o que supõe menos peso e apenas uma bateria para recarregar, tarefa sempre árdua nos pontos de destino.

No inverno a equipagem não deve ser muito diferente, salvo o saco de dormir que deve proteger melhor das baixas temperaturas, a camisola que pode ser algo mais grossa e o calçado algo mais contundente para que a marcha não acabe dificultada nalgum troço barrento.
Para as épocas do ano mais frias convém caminhar com luvas, gorro, cachecol ou lenço para o pescoço e um bom blusão, ligeiro se possível, mas que proteja bem do frio.

Em bicicleta

Os ciclistas exigem um material específico para chegar a Santiago com garantias.

Capacete: A segurança vem em primeiro lugar. O capacete é obrigatório. Nas lojas especializadas existem modelos muito cómodos,  pouco calorentos e a bom preço. Não existem desculpas.

Alforges: Para quem não queira comprá-las, existem empresas que oferecem a possibilidade de alugá-las.

Óculos  de sol desportivos: Protegem do sol, da chuva e do vento. Imprescindíveis nas descidas.

Culotte: Um pequeno investimento num culotte pode poupar doenças ao peregrino. Há de três qualidades. Os mais recentes têm proteção de gel e são os  mais adequados quando se vai estar muito tempo em cima da bicicleta, ainda que também sejam os mais caros.

Maillot: Usar um maillot adequado em função da época do ano. Para os meses mais frios, uma boa solução pode ser levar uma camisola térmica por baixo. Os bolsos nas costas são bastante cómodos.

Oleado: Básico para não ficar empapado nos dias de chuva. Um saco de plástico impermeável será suficiente para proteger os alforges da água.

Cantil: Imprescindível. Pode-se ir enchendo de água nas fontes que o peregrino encontra ao longo do Caminho de Santiago.

Bomba de ar: É mais do que conveniente ajustar a pressão dos pneus no final de cada etapa.

Remendos: Num percurso longo é muito provável que tenha um furo.

Luz: Apesar de que a maioria dos quilómetros serem percorridos durante horas de sol, levar uma pequena luz na bicicleta (para ser visto, não para ver) pode vir a evitar algum desgosto.

Pequeno jogo de ferramentas: Cada qual deve conhecer a sua bicicleta. Na maioria dos modelos basta levar um par de chaves para solucionar os  problemas  mais habituais. Convém não esquecer o quão importante é carregar o menor peso possível.

Acessórios

Os ciclistas mais experientes recomendam levar botas de neopreno de cinco ou seis tamanhos maiores que o calçado, para cobrir as sapatilhas e chegar com os pés secos.

Existe uma grande quantidade de gadgets para a bicicleta que marcam desde a altimetria e a velocidade até às pulsações. Também existe a possibilidade de descarregar as aplicações oportunas nos smartphones, em função das necessidades de cada um.

La Voz de Galicia La Voz de Asturias

© Copyright LA VOZ DE GALICIA S.A. Polígono de Sabón, Arteixo, A CORUÑA (ESPAÑA) Inscrita en el Registro Mercantil de A Coruña en el Tomo 2438 del Archivo, Sección General, a los folios 91 y siguientes, hoja C-2141. CIF: A-15000649

Powered by Hyliacom