Missa do peregrino

Peregrinação

A Missa do Peregrino é um ritual litúrgico que se celebra todos os dias às 12:00 da Catedral de Santiago e onde os peregrinos que reivindicaram a sua compostela no último dia são bem-vindos.

13
Missa do peregrino
Voo do botafumeiro / @ Xoán A. Soler

Voo do botafumeiro / @ Xoán A. Soler

missa do peregrino oficia-se todos os dias no altar maior da catedral de Santiago às 12h. Como símbolo de boas vindas, no início da celebração procede-se à leitura da lista de romeiros chegados a Santiago e que passaram a reclamar a sua compostela durante as anteriores 24 horas. Além do nome é indicada a sua nacionalidade e o lugar a partir do qual cada um iniciou a sua peregrinação.

Tradicionalmente, os caminhantes dedicam o tempo de oração da missa do peregrino a dar as graças a Deus pelas experiências vividas ao longo da sua aventura e por haverem alcançado a meta.

Nos anos santos (quando o 25 de julho cai a um domingo) entra em funcionamento um dos maiores símbolos da catedral de Santiago, o popular botafumeiro. O botafumeiro é um enorme incensário (53 quilos e 1,5 metros de altura) de latão banhado em prata que requer a atenção de oito especialistas ou tiraboleiros para columpiarlo pelo interior da catedral. Suspenso a 20 metros de altura através de um sistema de polias, alcança uma velocidade de 68 km/h.

Botafumeiro / @ Xoán A. Soler

Botafumeiro / @ Xoán A. Soler

O uso do botafumeiro (turibulum magnum) já aparece recolhido no Códice Calixtino. Era usado como elemento purificador perante as multidões que se congregavam no interior do templo. O espetáculo, ao som do Hino do Apóstolo interpretado nos órgãos barrocos, começa após a eucaristia. Esta relíquia, que quando vai carregada com carvão e incenso ultrapassa os 100 kg, protagonizou apenas um par de acidentes ao longo da sua dilatada história. No dia 25 de julho de 1499, com a presença no templo de Catarina de Aragão, saiu a voar para estatelar-se contra a porta da praça de Praterías. Em 1622 rompeu-se a corda que o prende e caiu no chão e no século XX fraturou as costelas e o nariz de um peregrino que se aproximou demasiado.

Nos anos não jacobeus apenas se cumpre com a tradição do botafumeiro em dias assinalados, como a Epifania do Senhor (6 de janeiro), o Domingo de Ressurreição, a Ascensão do Senhor, a aparição do Apóstolo na batalha de Clavijo (23 de maio), o dia de Pentecostes, o dia de Santiago ou do Martírio de Santiago (25 de julho), a Assunção de Maria (15 de agosto), o dia de Todos os Santos (1 de novembro), o dia de Cristo Rei, a Imaculada Conceição (8 de dezembro), o dia de Natal (25 de dezembro) e o dia da Trasladação dos Restos do Apóstolo (30 de dezembro).

Durante o ano de 2013, o Concelho de Santiago chegou a um acordo com a Associação de Hotelaria e a Catedral para que nas sextas-feiras de verão também seja utilizado obotafumeiro na missa das 19h30.

Se não lhe calha bem nenhuma destas datas, resta-lhe a opção de desfrutar do espetáculo do botafumeiro solicitando-o com antecedência na Oficina do Peregrino e assumindo o custo: 300 euros.

Latest blog content
La Voz de Galicia La Voz de Asturias

© Copyright LA VOZ DE GALICIA S.A. Polígono de Sabón, Arteixo, A CORUÑA (ESPAÑA) Inscrita en el Registro Mercantil de A Coruña en el Tomo 2438 del Archivo, Sección General, a los folios 91 y siguientes, hoja C-2141. CIF: A-15000649

Powered by Hyliacom